SAPO Campus Wiki UA

MySchoolNotebook

O conteúdo publicado na Wiki do SAPO Campus de Aveiro deve ser considerado como estando em desenvolvimento. O seu conteúdo não foi validado cientificamente pela Universidade de Aveiro.

De WikiCampus

Ficheiro:logoMySchoolNotebook.png

Tabela de conteúdo

MySchoolNotebook

Com a evolução e proliferação das novas tecnologias da comunicação e informação a forma como as pessoas comunicam mudou radicalmente. A maioria das pessoas atualmente no países ocidentais estam sempre contactáveis. O mesmo se aplica aos jovens que fazem do telemóvel uma extensão da sua personalidade. Os métodos de ensino sofreram alterações bem como a forma como os estudantes assistem às aulas e estudam as materias lecionadas.

Apoiadas nestas transformações as redes sociais são um fenómeno que nos últimos anos tiveram um crescimento exponencial. O aplicativo mySchoolNotebook visa adequar o comportamento dos estudantes às novas tendência permitindo-lhes tirarem apontamentos nas aulas com o seu telemóvel de uma maneira mais cómoda e agradável e partilhá-los rapidamente.

História

MySchoolNotebook é um aplicativo para telemóvel que permite fazer anotações na escola desenvolvido por um estudante tcheco, Jakub Roz, 18 anos de idade da Escola Superior de Tecnologia de Computação, em Praga, República Checa, que achava muito inconveniente fazer anotações usando o Word e ser difícil partilhá-las com seus colegas. Fez o que qualquer estudante prático pode fazer programou um sistema simples e acessível para todos.

Até agora, mais de 25.000 utilizadores concordam com ele. Ele chamou a este aplicativo MySchoolNotebook (há versões checas, alemãs, e Inglesas, bem como uma versão em espanhol em andamento).
Os alunos podem criar cadernos virtuais, onde podem escrever as suas notas e que se integram com o Facebook. Por 2 dólares por mês os utilizadores podem fazer downloads do iTunes. Este programa está a ser usado por um número crescente de alunos.[1]

Site Inglês: http://www.myschoolnotebook.com/ Site tcheco original: http://www.skolnisesit.cz/


Descrição

Conceito

"You don't need a notebook anymore!" www.myschoolnotebook.com/

Este aplicativo permite aos estudantes retirarem apontamentos durante as aulas no seu telemóvel, ficando os mesmos de imediato disponíveis on-line sem a necessidade de possuírem cadernos portáteis ou outro aplicativo eletrónico. Podem também criar pastas com os conteúdos mais relevantes e partilha-las com os seus amigos ou grupo de alunos no Facebook.

O aplicativo oferece ainda a possibilidade das notas serem editáveis e torna-las acessíveis ao público em geral. As notas podem ser divididas por temas em pastas individuais que são automaticamente numeradas e classificadas de forma a ficarem bem organizadas. Existem várias formas de estudar mas retirar apontamentos em sala de aula sempre foi importante para o sucesso escolar.

Os cadernos são pesados, incómodos para transportar e difíceis de organizar e partilhar. Se o aluno faltar a uma aula pode rapidamente saber os conteúdos lecionados pelos seus amigos. Resumindo mySchoolNotebook é uma grande ajuda para os estudos.

Objetivos

  • Tornar a tarefa de retirar apontamentos nas aulas mais agradável usando o telemóvel;
  • Possibilitar uma organização mais eficiente;
  • Rapidez na troca de conhecimentos, ficando o conteúdo imediatamente disponível na web;
  • Criação de uma rede de utilizadores que podem visualizar a informação ou o público em geral;
  • Facilidade de edição, impressão e publicação;


Fundamentos teóricos

De forma a tentar enquadrar teoricamente esta temática e compreender melhor o assunto foram efetuadas pesquisas académicas que culminou com o estudo de uma dissertação de mestrado.

Atualmente temos assistido à incorporação dos sites das redes sociais nas práticas diárias de muitos indivíduos. O seu uso generalizou-se de tal forma que os telemóveis têm aplicações que permitem facilitar o acesso às redes sociais. A interação e comunicação através das redes sociais vieram alterar a forma como os indivíduos se relacionam uns com os outros... O fenómeno das redes sociais online constitui, nos dias de hoje, um grande desafio para profissionais e investigadores pela necessidade urgente de compreender os seus utilizadores. Uma sua correta compreensão vai permitir às marcas e organizações implementarem ações mais eficazes e criar relações fortes e estáveis com os seus fãs, fidelizando-os.[2]

Segundo Cheung e Lee (2010), a decisão de utilizar uma rede social representa um fenómeno social que depende das interações entre os utilizadores e o uso das tecnologias de rede, que só fazem sentido quando um grupo de indivíduos tem motivação para utilizar a rede de forma sistemática.

Ficheiro:modeloPesquisaPartilhaConh.jpg

De um modo geral, nas comunidades virtuais os indivíduos interagem entre si para compartilhar informações e conhecimentos promovendo a interação social. Os membros procuram a reciprocidade na partilha e é dada ênfase à qualidade e não à quantidade dos conhecimentos partilhados.[3]

Contexto

Para se perceber o contexto onde é possível o uso deste app ou um semelhante é necessário perceber a evolução do uso dos telemóveis e o grau de penetração no público-alvo composto maioritariamente por crianças e adolescentes em idade escolar. Por esta razão foi consultado o site da OberCom[4] para obter informação estatística que permita perceber melhor esta realidade. Foi estudado com mais detalhe o seu documento "A Sociedade em Rede em Portugal 2010 – A apropriação dos Telemóveis na Sociedade em Rede", [5]

Algumas dados úteis para o nosso estudo:

  • Se em 2006 a grande maioria dos inquiridos tendia a falar mais com familiares, essa tendência tem vindo a diminuir e regista valores inferiores nos anos de 2008 e 2010. Neste sentido, a percentagem de inquiridos que entendem utilizar mais frequentemente o telemóvel, para falar com familiares, regista um decréscimo na ordem dos 20%, quando comparados os resultados de 2006 e 2010. Em sentido contrário surge a categoria <falar com amigos>, que regista um aumento de 2006 para 2010, ainda que o resultado obtido em 2008 seja inferior ao registado no estudo de 2006.
  • As atividades mais habitualmente realizadas quando utilizado o telemóvel, seja em 2008 ou em 2010, passam pelo falar ao telefone, enviar e receber SMS. As atividades que seguidamente surgem mais representadas dependem das potencialidades e do tipo de aparelho usado e seus extras, como acontece com a capacidade para tirar fotografias e a utilização do despertador.
  • Ao contrário da tendência de crescimento registada para o número de chamadas e SMS diários feitos, em média, nos anos de 2008 e 2010, o número de inquiridos que consideravam utilizar mais o telemóvel, em 2008, do que há cinco anos atrás, sofre um decréscimo muito assinalável quando comparado com o número obtido em 2010. Mais concretamente, em 2010, 47,8% dos inquiridos afirmam utilizar mais o telemóvel do que há cinco anos atrás, contra os 62,5% registados para o período de 2008. Ora, este resultado poderá ser explicado pela crescente utilização de sites de redes sociais para fins de comunicação e partilha, atividades anteriormente exclusivas e dependentes de aparelhos de comunicação de voz.
  • Nas duas últimas edições do estudo Sociedade em Rede, os resultados obtidos apontavam para 74,4% de inquiridos com Telemóvel em 2006 e 89,7% em 2008. Por outro lado, 51,5% dos inquiridos afirmavam ter Telefone fixo em 2008, tendo essa percentagem caído ligeiramente para 49.5% em 2010.

Gráfico1 - As atividades mais comummente realizadas quando utilizamos o telemóvel, seja em 2008 ou em 2010, passam por falar ao telefone; enviar e receber SMS. Surgem depois as atividades dependentes das potencialidades e do tipo de aparelho e seus extras, com o acto de tirar fotografias e utilizar o despertador como atividades secundárias mais populares entre os utilizadores de telemóvel.

Gráfico2 - Este estudo demonstra que quanto maior o grau de escolaridade maior é a tendência para o uso telemóvel.

Gráfico3 - Quase metade dos inquiridos (cerca de 48%) consideram comunicar hoje mais através do telemóvel, do que há cinco anos atrás. Bastante considerável é também a percentagem de inquiridos (34,2%) que entendem comunicar hoje o mesmo por telemóvel do que há cinco anos.

Gráfico4 - A grande maioria dos inquiridos não utiliza ainda o telemóvel para a) aceder a sites de redes sociais, b) utilizar o messenger, c) utilizar serviços de GPS, d) utilizar o Telemóvel como multibanco ou e) ver programas de televisão e outros conteúdos audiovisuais.

Gráfico5 - Como verificado para as situações anteriores, e apesar do número de inquiridos que costumam utilizar o Telemóvel para acesso à Internet ser quase residual, também são os inquiridos mais jovens aqueles que mais utilizam o Telemóvel para acesso à Internet.

Depois do estudo dos dados estatísticos da UberCom e da Dissertação de Mestrado retirei as principais conclusões para o meu estudo em relação ao público-alvo mais jovem:


Conclusões: Depois de estudar estes dados estatísticos da OberCom e da Dissertação de Mestrado referida neste trabalho é possível enumerar algumas conclusões:

  • Existe uma predisposição dos jovens para a posse dos telemóveis que o usam para comunicar com os amigos;
  • O telemóvel ainda não é usado para aceder a vários serviços, como as redes sociais mas a tendência é para aumentar;
  • Estam dispostos a partilhar conhecimento;
  • Usam bastante a Internet e as redes sociais para comunicarem com os amigos;
  • Cada vezes mais instalam aplicativos para aumentar as suas capacidades;

Isto quer dizer que se for elaborada uma boa estratégia de marketing, onde a mensagem seja bem transmitida e que pode estar disponível nas redes sociais é possível fazer novos aplicativos para os telemóveis que ofereçam novos serviços ao público-alvo. Os estudos também indicam que com as capacidades dos dispositivos aumentar o mercado ainda tem grande potencial de crescimento e não está totalmente explorado. Um bom estudo seria tentar perceber que limitações técnicas, económicas ou sociais afetam o uso do telemóvel nestes contextos de partilha de conhecimento.


Requisitos do desenvolvimento e especificações do sistema

  • Acesso à Internet;
  • Posse de um telemóvel com o SO Android instalado;
  • Integração com uma rede social facebook;
  • Perfis de utilizadores;
  • Acesso a uma base dados, onde são registadas os utilizadores, os conteúdos e as permissões.

Teremos dois tipos de informação relativamente ao utilizador e ao conteúdo.

  • Utilizadores: nome, email, password;
  • Acesso aos Conteúdos: Nome utilizador;
  • Conteúdo: Nome tópico, conteúdo, tipo de conteúdo;
  • Permissões: Ler, escrever, modificar e apagar.


Funcionalidades

  • MySchoolNotebook permite armazenar e organizar cadernos, áudios e imagens e posteriormente editá-los e compartilhá-los com a rede de amigos do Facebook que também usam o aplicativo, onde já é nativo ou o público em geral;
  • Não é necessário um novo registo basta a senha habitual do Facebook;
  • Os cadernos podem também ser divididos em capítulos ou tópicos que são automaticamente numerados, possibilitando uma excelente organização dos cadernos. Tem uma versão gratuita e a Premium que custa 2 dólares por mês e permite um maior número de publicações;
  • Fazer a exportação para pdf caso seja necessário uma cópia em papel;
  • O aplicativo para iPhone[6] e iPad[7] foi desenvolvido em HTML5 [8] e possui a grande vantagem de poder ser usado online e offline[9]. As versões Android estão a caminho.

Redes sociais

mySchoolNotebook está presente nas redes:

facebook - https://www.facebook.com/mySchoolNotebook

twiter. - https://twitter.com/schoolnotebook

Vídeos funcionamento aplicação internet/telemóvel


"Criação de um caderno/tópico/nota - aluno Sílvio Dias


Apresentação da aplicação num telemóvel


Imagens aplicação

Telemóvel

iPhone

iPad

Funcionamento


Promoção

Icnografia utilizada

Estás olhar para onde!


Requisitos

Para os utilizadores

  • Acesso internet;
  • Registo Facebook;
  • Posse de um equipamento, computador, telemóvel, iPhone ou iPade;

Da aplicação

Telemóvel
  • Versão 1.0.2;
  • Requer o Android: 2.2 e superior;
iPhone - iPade
  • Version 1.2;
  • Compatible with iPhone, iPod touch, and iPad. Requires iOS 4.0 or later.;
Empresa
  • Serviços de hospedagem do site;
  • Despesas publicidade e marketing;
  • Desenvolvimento e suporte da aplicação;

Análise SWOT

Análise SWOT[11]
You don´t need nootbook anymore!
Interna Ajuda Prejudica
Forças(Aspectos positivos)

- Sem custos de download;
- Leve;
- Fácil instalação;
- Fácil de usar;
- Disponível para diferentes plataformas, web, telemóvel, iPhone, iPad;
- Público-alvo com tendência para usar estes aplicativos;
- Evolução da posse de telemóveis e Internet em Portugal;
- Criação de rede de aluno/amigos;
- Independente de barreiras físicas ou geográficas;
- Plataforma de partilha global;
- Possibilidades de desenvolvimento constante;
- Disseminação/partilha rápida da informação;
- Disponibilização de várias ferramentas nativas da aplicação ou do uso rede social;
- Potencia novas amizades;
- Torna o estudo mais atrativo;
- Interligação com outras plataformas; web
- Possibilidade de criar grupos amigos/estudantes;
- User-friendly (Facebook>


Fraquezas(Aspectos negativos)

- Necessidade de registo;
- Privacidade: fornecimento de dados privados;
- Não é possível personalizar;
- Em Portugal ainda não é muito utilizado de forma a atingir a massa crítica;
- Mudanças constantes de plataforma;
- Atualizações do software;
- Existem versões pagas;
- Má utilização da rede por parte de alguns indivíduos;
- Diminuição de convivência social física ou presencial;

Externa Oportunidades

- Alargamento das comunidades que utilizam partilham este conceito;
- Ferramenta de marketing Importância crescente deste tipo de sites
- Espectro alargado para a vertente comercial Publicidade segmentada;
- Necessidade de aceitação social;
- Curiosidade dos utilizadores Utilizadores intensivos de Internet;
- Possibilidade de desenvolvimento de aplicações;
- Oportunidades de promoção e divulgação a baixo custo;
- Facilidade em estabelecer ligações (novos contactos);

Ameaças

- Crescimento exponencial de aplicações para telemóveis;
- Infoexclusão Falta de literacia informática;
- Redução dos contactos pessoais (meio físico);
- Recolha de informação do utilizador (base de dados);
- Legislação restritiva do uso de certos aplicativos em sala de aula, como o telemóvel.


Questões mais frequentes [12]

É necessário ter um perfil no Facebook para o registo? Sim é necessário. É a melhor solução para proporcionar a partilha amigável de notebooks e também para um processo de login fácil e rápido, o que é útil na escola.

É necessário usar uma configuração especial para o modo off-line? Não, não é necessário usar uma configuração especial (exceto para permitir que os dados sejam salvos no computador, se forem solicitados pelo navegador). Vai-se notar um rápido aumento na velocidade de todo o sistema, melhor estabilidade sendo possível usar mySchoolNotebook.com sem uma conexão à Internet.

Como se pode usar mySchoolNotebook a partir do telemóvel? Para usar mySchoolNotebook.com do telemóvel basta digitar o endereço m.myschoolnotebok.com no navegador. No entanto, se estiver a ser usado um iPhone e iPad, também é possível visitar a Apple App Store, onde se pode encontrar uma aplicação mySchoolNotebook.com.

Outras pessoas podem editar as notas? Sim se o aluno decidir partilhar as suas anotações, também pode permitir que outras pessoas possam ler as suas notas, editá-las ou adicionar mais informações. Além disso, as notas podem ficar acessíveis a qualquer pessoa na Internet através da sua publicação.

As notas são automaticamente salvas? Sim, porque eles são apoiados pelo servidor.

Pode-se fazer o dowload das notas? Além de ser possível aceder às notas sempre que é necessário, porque mySchool Notebook.com funciona offline, as notas podem também ser impressas na versão em PDF e serem salvas no computador nesta versão.

Quais navegadores de Internet que se podem usar? MySchoolNotebook.com apoia-se principalmente no Google Chrome, Apple Safari e Firefox 4.A empresa está a tentar ampliar o número de navegadores com suporte, nomeadamente o Opera e o Microsoft Internet Explorer 9 +. O modo offline funciona no Google Chrome, Apple Safari e no futuro também no Opera. Os outros navegadores não suportam a tecnologia utilizada.

Como é possível que mySchoolNotebook funcionar offline? Devido a novas tecnologias dos tempos modernos é possível usar mySchoolNotebook.com no modo offline usando as últimas inovações em HTML5 que permite salvar os dados diretamente no computador.

É possível adicionar imagens às notas? Sim é. A barra de ferramentas acima do campo de texto oferece uma opção de desenho. Ao utilizar este barra de ferramentas é possível desenhar-se imagens ou gráficos com o cursor diretamente nas notas. Para o desenho ainda mais preciso, mySchoolNotebook.com suporta tabelas gráficas. Além de fotos, é possível salvar apresentações, sons, vídeos, fotografias e outros documentos.

Conclusões finais

Depois de analisar este programa a minha opinião é que o mesmo é muito útil, de fácil utilização, convidativo, com possibilidades de crescimento e vem suprimir uma necessidade, Steve Jovens dizia que um utilizador não sabe do que precisa até lhe mostrar-mos.

Não pode fazer testes de utilização ao público-alvo mas este app foi testado pelo meu filho, com 13 anos, estudante do 9 ano que me deu um feedback mais real do que a minha opinião que pode ser suspeita. Ele nas suas palavras disse que era “fixe” e que a ia mostrar aos amigos. Não é muito técnica mas na linguagem dos jovens quer dizer que pode ter sucesso.

Um dos graves problemas que pode impedir o seu crescimento em Portugal é o fato de o Ministério da Educação ter recentemente introduzido alterações importantes no Estatuto do aluno e agora os telemóveis não podem ser usados em contexto de aulas, o que impede na prática os alunos de retirarem notas usando este conceito. Também acho que deveria ser possível personalizar o mesmo e o site ter mais informações sobre a sua história, o seu criador e mais vídeos sobre o seu funcionamento.

Veja também

Outras aplicações relacionadas

Free resources for teachers, educational ideas and tips, educational topics, Personal Learning Networks, Project Based Learning, Google, Evernote, Discovery Education and more.

http://educationaltechnologyguy.blogspot.pt/

Outras aplicações analisadas no MCMM

exemploApp (por Carlos Santos), Catch Notes (por Cláudio Marques), Goodreads (por João Dias), Quora (por João Abreu), StumbleUpon (por Marisa Martins), Schoology (por Hugo Nogueira), Diigo (por João Luz), Edmodo (por Kátia Ferreira), Path (por Mariana Martins),8tracks (por Sofia Cruz), Touch (por David Pacheco), Astrid (por Paulo Cunha), eduTecher (por Vitor Rodrigues), Evernote (por Luís Melo), Quote (por Eduardo Marques), Flud (por Carlota Silva), busuu (por Pedro Ferreira), musubi (por Anabela Nunes), Formspring (por Maria Silva), Skitch (por Cláudia Conceicao), Flashcardlet (por Sara Santos), Tappestry (por Sara Ferreira), Learnist (por Andreia Pereira), Foursquare (por Celina Soares),Blackboard Mobile Learn (por Maira Lopes), AldikoeBookReader (por Ariana Caldeira), ShowYou (por João Campos)


Link relacionados com aplicativo


Links Externos

  • História, Descrição (último acesso: 27-09-2012) [2]
  • RIA - ISCA, "Dissertação Mestrado (último acesso: 28-09-2012) [3]
  • RIA - ISCA, "Dissertação Mestrado, página 45 (último acesso: 28-09-2012) [4]
  • OberCom, "Site (último acesso: 27-Set-2012) [5]
  • OberCom, "Página dos relatórios e pesquisas (último acesso: 27-09-2012) [6]
  • iPhone, "Site oficial Appel (último acesso: 03-10-2012) [7]
  • iPade, "Site oficial Appel (último acesso: 03-10-2012) [8]
  • html5, "Apreender esta nova linguagem (último acesso: 03-10-2012) [9]
  • html5, "online/offline (último acesso: 03-10-2012) [10]
  • mySchoolNotbook, "Síte (último acesso: 29-09-2012) [11]


Notas Referências

  1. Fonte usada para as referências histórias do aplicativo - http://edtechdigest.wordpress.com/2012/02/02/4946/
  2. Dissertação de mestrado, título: Determinantes para a participação nas redes sociais, autor:Resende, Joana Patrícia Martins de, ano:2011, período: 2006-2010, editor: Universidade de Aveiro, http://ria.ua.pt/handle/10773/8786
  3. (Foster, Francescucci & West, 2010, *RIA - ISCA, "Dissertação Mestrado, página 45 (último acesso: 28-09-2012) [1])
  4. Observatório da Comunicação (OberCom), http://www.obercom.pt/content/2.cp3
  5. Relatórios e pesquisas publicados pela OberCom, http://www.obercom.pt/content/pSociedadeRede/
  6. O iPhone é um smartphone desenvolvido pela Apple Inc. com funções de iPod, câmera digital, internet, mensagens de texto (SMS), visual voicemail, conexão wi-fi local e, atualmente, suporte a videochamadas (FaceTime). A interação com o usuário é feita através de uma tela sensível ao toque, (fonte Wikipedia). Site oficial da empresa, http://www.apple.com/iphone/features/
  7. iPad é um dispositivo em formato tablete (tablet) produzido pela Apple Inc. O aparelho foi anunciado em 27 de janeiro de 2010, em uma conferência para imprensa no Yerba Buena Center for the Arts em São Francisco.[7] Meses antes de seu anúncio, surgiram rumores do nome do aparelho: iSlate, iBook e iTablet, entre outros. O iPad foi apresentado como um dispositivo situado a meio caminho entre um MacBook e um iPhone. O dispositivo utiliza o mesmo sistema operacional do iPhone, o iOS. A recepção inicial do iPad foi bastante misturada, com muitos entusiastas ficando contra o aparelho devido ao que percebem como limitações e com outros tantos demonstrando grande empolgação com facilidade de interação que a interface demonstra, (fonte Wikipedia), Site oficial da empresa, http://www.apple.com/ipade/features
  8. É a nova linguagem de marcação para páginas da Internet aprovada pela W3C e que entrou em vigor neste ano de 2012, http://www.w3schools.com/html/html5_intro.asp.
  9. HTML 5 contém vários recursos para a construção de aplicações Web que funcionam offline. O site do concosrcio W3C estaca esses recursos (SQL, aplicações offline cache APIs, bem como online / offline de eventos, status e do localStorage API) do HTML 5 e fornece tutoriais breves sobre como esses recursos podem ser usados ​​para criar aplicativos da Web que funcionam offline. http://www.w3.org/TR/offline-webapps/
  10. Página na Internet, http://www.myschoolnotebook.com/
  11. SWOT: acrónimo de Forças (Strengths), Fraquezas (Weaknesses), Oportunidades (Opportunities) e Ameaças (Threats). http://pt.wikipedia.org/wiki/Análise_SWOT
  12. Fonte FAQ do site: http://www.myschoolnotebook.com/

Bibliografia

OberCom. (2012). Apropriação dos telemóveis na Sociedade em Rede. Lisboa.

OberCom (2012). A Internet em Portugal. Lisboa.

Resende, Joana Patrícia Martins, J.P.M.R. (2011). Determinantes para a Participação nas Redes Sociais. Dissertação de Mestrado em Marketing, Universidade Aveiro, 138 pp.

Recueiro, Raquel. (2009). Redes Sociais na Internet. 1ª edição, Editora Meridional. Brasil.

Correa, T., Amber W. H. & Homero, Gil de Zúñiga. (2009). Who interacts on the Web?:The intersection of users‟ personality and social media use. Computers in Human Behavior, 26(2), 247-253.

As regras para apresentação das referências bibliográficas que se sugerem neste documento são adaptadas a partir das da APA – American Psychological Association (http://www.apastyle.org), e são as mais vulgarmente utilizadas na área das ciências naturais e sociais.